terça-feira, 14 de outubro de 2008

Cartão do Cidadão - Mais uma bronca

Um imigrante português em França que tinha perdido o BI resolveu, nas férias, tratar do seu Cartão do Cidadão. Ficou com um certificado provisório e aproveitou vir receber uma indemnização a Portugal para o levantar. Tendo feito um corte no dedo indicador, o cidadão não conseguiu passar (por duas vezes em 4 dias) na autenticação por impressão digital, porque a cicatriz ainda está visível.
.
Os serviços, no auge da competência, disseram-lhe para tentar arranjar um BI provisório ou então, em alternativa, ficar em Portugal até que a cicatriz desapareça. Pouco lhes interessa que o homem tenha perca o dinheiro da passagem de avião marcada para hoje e até mesmo o próprio emprego por falta de comparência. Para quê soluções tecnológicas quando as mentalidades continuam da idade da pedra?

5 comentários:

missixty disse...

Há coisas realmente inadmissíveis! Burocracia a mais !

Amelia disse...

Melhor mesmo é a foto que ilustra o post. Paula Andreia?

Al disse...

a paula andreia é uma senhora e das mais giraças que para aí andam

Samu disse...

Se não for possível fornecer impressões digitais, pode ser solicitado um Cartão de Cidadão?
Sim.

É possível solicitar o Cartão de Cidadão mesmo que o cidadão não possa fornecer impressões digitais. Esta característica fica registada no chip do respectivo cartão, como informação meramente indicativa.

Note-se que no processo de pedido do Cartão de Cidadão, ao contrário do Bilhete de Identidade, são requeridas 2 impressões digitais, associadas a dedos das 2 mãos.

[ http://www.cartaodocidadao.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=65&Itemid=35&lang=pt ]

joaquim disse...

Se não existirem dedos nas mãos, pode ser os dedos dos pés ou até a cabeça da gaita.