sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Toy (esse grande cantor) em entrevista

(original no Sapo fama)
.
Como surgiu esta ideia de lançar um álbum em que reúne sucessos nacionais e internacionais?
Era uma ideia já antiga. São músicas em que se tem de abrir muito a boca e para além de berrar, gosto que me vejam o estômago enquanto canto.
.
E porquê este nome para o álbum, "Recordações"?
É que estas canções lembram-me coisas. O «Confesso» lembra-me a Tina a apanhar-me na cama com outra, o «Estranha forma de vida» lembra-me quando eu tinha sexo com animais, o «Tudo passará» lembra-me as dores do sexo anal, é um álbum muito pessoal.
.
Interpreta neste trabalho temas de Amália Rodrigues e Tony de Matos. Foi fácil conseguir uma interpretação sua?
Claro que sim. Você, está a falar com um homem que conduz com joelhos a 180km/h enquanto fala ao telemóvel, que come sopas de cavalo cansado e diz à mulher que a ama enquanto mete uma bucha de pão na boca. Não via a casa do Toy? Sou um artista.
.
Acha que os seus fãs passam a conhecer um Toy mais versátil com este trabalho?Sim, sou um Toy elástico, não é? Fico parvo com as coisas que saem dentro de mim, até quando vou à WC até penso «porra, de onde é que vem isto?!!!». Os meus fãs têm muita sorte.
.
Que expectativas tem em relação às vendas deste CD?
Epá, há muita gente com mau gosto por isso, e eles também compram discos. Acho que chego à platina.
.
O Toy é, definitivamente, um cantor romântico? É assim que se define?
Eu considero-me um romântico que gosta de fazer passar emoções através da voz e das palavras. Farto-me de falar quando estou a dar canzanadas e umas palmadinhas à minha mulher, eheheh…
.
Com a crise económica a afectar o país, teme que o sector musical possa vir a ser dos mais afectados?
Antes isso que o vinho e o pão. Como é que eu fazia as sopas de cavalo cansado para o pequeno almoço?
.
Depois de tantos anos de carreira, o que mais lhe apetece fazer?
Eu gostava de fazer um musical porno. É uma ideia que me persegue. Tenho a voz e o corpo para isso.